Como registrar um CNPJ

O Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) é o documento que identifica todas as informações sobre a empresa: o seu recolhimento de impostos, os seus empréstimos, a emissão de notas fiscais, a atividade ou inatividade, a consulta cnae, etc.

Para compreender a relevância do CNPJ, basta associá-lo ao CPF: a mesma importância que este último tem para os cidadãos, o CNPJ tem para as empresas ativas.

Entretanto, existem processos para que o empreendedor consiga esse documento, que é emitido pelo Ministério da Fazenda.

Como emitir o CNPJ

consulta cnae

As etapas para que o empreendedor tenha o CNPJ são as seguintes:

– Faz-se o preenchimento do Quadro de Sócios e Administradores e da Ficha Cadastral de Pessoa Jurídica, lembrando que os dois documentos devem ser gravados;

– Em seguida, é preciso utilizar o Aplicativo de Coleta Web ou o programa Receitanet para que esses documentos sejam transmitidos;

– O sistema do Ministério da Fazenda fornecerá um recibo que tem de ser impresso;

– O empreendedor imprimirá o Protocolo de Transmissão ou o Documento Básico de Entrada, ficando os dois no site da Receita Federal;

– Os dois documentos acima deverão ser mandados para o Cartório de Registro Civil de Pessoa Jurídica, junto ao processo aberto para a criação da empresa. Vale dizer que é preciso constar o nome dela.

Deve-se lembrar que o Documento Básico de Entrada pode ser feito por um procurador e que, nesse caso, a Receita Federal pedirá a procuração.

Em quais casos o CNPJ é imprescindível?

consulta cnae

A sociedade limitada é uma das formas empresariais que precisam de CNPJ, assim como as microempresas, a sociedade anônima, as empresas de pequeno porte e o microempreendedor individual.

No entanto, até as instituições tidas como sem fins lucrativos precisam de um CNPJ no caso de receberem doações. Assim, incluem-se associações, igrejas, partidos políticos, etc.

Por que os profissionais autônomos devem ter CNPJ?

Além das instituições e das empresas, ter CNPJ é indicado também para os profissionais autônomos porque proporciona piso da categoria e credibilidade, além de os bancos liberarem crédito mais facilmente para quem possui o CNPJ.

Os profissionais precisam desse documento para fazer a emissão de notas fiscais e o contato com fornecedores e com possíveis parceiros é mais promissor.

Os autônomos que têm CNPJ não precisam pagar tributos federais e têm benefícios trabalhistas.

As unidades da Receita Federal esclarecem dúvidas presencialmente de quem emite o cadastro de pessoa jurídica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*